01/06/2024 - EU FIZ DO MEU MODO?

Sábado, 01 de Junho de 2024 – São Justino
Jd 17,20-25

Sl 63(62),2-6

Mc 11,27-33

EU FIZ DO MEU MODO?

“Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé e orando no Espírito Santo, guardai-vos no amor de Deus pondo a vossa esperança na misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna.” (Jd 20.21)

Nós temos que nos elevar a nós mesmos(as) orando no Espírito Santo para mostrar a misericórdia para três grupos de pessoas na Igreja. Desse modo, nós faremos grandes avanços na renovação da Igreja.

O primeiro grupo que devemos alcançar é composto por aqueles(as) que estão duvidosos e confusos (Jd 22). Apesar de São Judas não esclarecer as circunstâncias de suas dúvidas e como nós devemos ajudar a essas pessoas, o Espírito Santo nos guiará ao orarmos (Ef 6,18).

O segundo grupo que somos chamados(as) a servir são aqueles(as) capturados(as) pelo fogo (Jd 22). Esse não é o fogo da purificação, mas da destruição. O Espírito Santo está nos fazendo parte do resgate definitivo. Vivam no Espírito.

O terceiro grupo de quem temos que ter misericórdia é descrito como usando “…veste manchada pela carne.” (Jd 23) Essa missão não é explicada, mas é claramente extremamente perigosa (Jd 23-25). Vem, Espírito Santo!

Judas nos dá uma percepção sobre a renovação da Igreja nos dizendo para enfatizar a misericórdia (Jd 21-23) e ter como objetivo três grupos – aqueles(as) que estão em dúvida, aqueles(as) que estão no fogo destruidor, e aqueles(as) que estão contaminados(as) pelas obras da carne. Podemos ter tentado renovar a Igreja de Deus com as nossas ideias. Vamos seguir a direção dada pelo Espírito Santo.

Oração: Pai, ajuda-me a desaprender algumas coisas que eu penso saber sobre a renovação da Igreja.
Promessa: “Àquele que pode guardar-vos da queda e apresentar-vos perante a sua glória irrepreensíveis e jubilosos ao único Deus, nosso Salvador, mediante Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade, poder e domínio, antes de todos os séculos, agora e por todos os séculos! Amém.” (Jd 24.25)
Louvor: São Justino acreditava que o povo iria abraçar o Cristianismo se os ensinamentos Cristãos fossem explicados apropriadamente. Ele dedicou a sua vida a ensinar aos não-Cristãos.

02/06/2024 - APENAS FAÇA

Domingo, 02 de Junho de 2024 –  9º Domingo do Tempo Comum – Santos Marcelino e Pedro

Dt 5,12-15

Sl 81(80),3-8.10.11

2Cor 4,6-11

Mc 2,23-3,6

APENAS FAÇA

“…O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado; de modo que o Filho do Homem é Senhor até do sábado.” (Mc 2,27)

Quando Moisés leu para o povo as palavras da aliança com o Senhor, “…todo o povo respondeu a uma só voz: ‘Nós observaremos todas as palavras ditas por Iahweh’.” (Ex 24,3) No dia seguinte, eles reiteraram: “…Tudo o que Iahweh falou, nós o faremos e obedeceremos.” (Ex 24,7) Eles compreenderam que fazer isso era uma parte essencial da aliança.

O próprio Jesus, na última ceia, disse: “…Fazei isto em minha memória.” (Lc 22,19), depois disse: “…Este cálice é a Nova Aliança em meu sangue…” (Lc 22,20) Portanto, vamos renovar a aliança:
– participando da Eucaristia em Sua memória (1Cor 11,24),
– usando de caridade para com os irmãos mais pequeninos (Mt 25,40),
– fazendo tudo o que Ele nos disser (Jo 2,5), e
– “…[observando] todas as palavras ditas por Iahweh’.” (Ex 24,3)

Quando começamos o Tempo Pascal, o Senhor através da Sua Igreja nos chamou a renovar a nossa aliança batismal. A Igreja nos perguntou: ‘Você rejeita a Satanás, a todas as suas obras, e a todas as suas promessas vãs’? e ‘Você crê no Pai, no Filho, e no Espírito Santo’? Nós repetidamente respondemos a essas perguntas dizendo: ‘Sim’. Façam a aliança. Façam isso em memória de Jesus.

Oração: Pai, faz de mim um(a) missionário(a) da Eucaristia de modo que eu possa levar tantas pessoas quantas seja possível a amar e adorar a Eucaristia.
Promessa: “Quanto mais o sangue de Cristo que, por um Espírito eterno, se ofereceu a si mesmo a Deus como vítima sem mancha, há de purificar a nossa consciência das obras mortas para que prestemos um culto ao Deus vivo.” (Hb 9,14)
Louvor: ‘Toda honra e toda a glória sejam dados a cada momento ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento’. Louvado seja Vosso precioso Sangue, Senhor Jesus.

03/06/2024 - A PLANÍCIE FRUTÍFERA

Segunda-feira, 03 de Junho de 2024 – São Carlos Lwanga e companheiros

2Pd 1,2-7

Sl 91(90),1.2.14-16

Mc 12,1-12

A PLANÍCIE FRUTÍFERA

“No tempo oportuno, enviou um servo aos vinhateiros para que recebesse uma parte dos frutos da vinha.” (Mc 12,2)

As primeiras palavras registradas do Senhor para a raça humana se referiam à produção de frutos. “…Sede fecundos, multiplicai-vos…” (Gn 1,28) Jesus até mesmo chamava a Si mesmo de “…a videira…” (Jo 15,5) Esse foi o seu modo de insistir que nós produzíssemos frutos abundantes e que permaneçam (Jo 15,5.16).

Jesus advertiu os Seus discípulos que eles teriam um final trágico a menos que se arrependessem e produzissem frutos (Lc 13,1-9). Ele amaldiçoou uma figueira porque ela não estava produzindo frutos – mesmo estando fora da estação (Mc 11,13.14). Jesus fez isso antes de limpar o Templo em razão dos seus líderes religiosos serem infrutíferos. Antes de Sua morte, Jesus contou uma parábola sobre o proprietário de uma vinha que enviou servos aos vinhateiros para receber sua parte dos frutos (Mc 12,2-5). Os servos foram repetidamente agredidos e mortos. Entretanto, o senhor da vinha estava determinado a receber seus frutos. Ele finalmente enviou seu filho amado para receber os frutos. Previsivelmente, o filho também foi assassinado. Alegoricamente, isso significa que Deus Pai enviou Seu Filho não somente para receber frutos, mas para produzi-los de maneira superabundante morrendo na cruz (Jo 12,24).

Jesus fez-se bem claro. Nós temos que produzir os frutos da evangelização e da santidade ou pereceremos. Sejamos frutíferos!

Oração: Pai, envia o Espírito Santo para produzir frutos em mim (Gl 5,22).
Promessa: “Por elas nos foram dadas as preciosas e grandíssimas promessas, a fim de que assim vos tornásseis participantes da natureza divina, depois de vos libertardes da corrupção que prevalece no mundo como resultado da concupiscência.” (2Pd 1,4)
Louvor: O rei de Uganda, enraivecido pela recusa de alguns de seus pajens a se submeter aos seus pedidos imorais, ordenou a seus servos Cristãos que os separassem dos outros. São Carlos Lwanga e quatorze outros homens declararam sua lealdade a Jesus e enfrentaram o martírio.

04/06/2024 - CRESÇA

Terça-feira, 04 de Junho de 2024

2Pd 3,12-15.17.18

Sl 90(89),2-4.10.14.16

Mc 12,13-17

CRESÇA

“Crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo…” (2Pd 3,18)

Muitos(as) de vocês receberam o Espírito Santo de um novo e grandioso modo neste Pentecostes. Agora a pergunta é: ‘Vocês vão extinguir o Espírito (1Ts 5,19) ou crescer no Espírito’? O Senhor nos manda: “Crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo…” (2Pd 3,18) “Mas, seguindo a verdade em amor, cresceremos em tudo em direção àquele que é a Cabeça, Cristo.” (Ef 4,15) “Mas vós, amados, edificando-vos a vós mesmos sobre a vossa santíssima fé e orando no Espírito Santo, guardai-vos no amor de Deus…” (Jd 20.21)

O próprio Jesus encarnado cresceu “…em sabedoria, em estatura e em graça, diante de Deus e diante dos homens.” (Lc 2,52; Lc 2,40) Nós temos que imitar a Jesus e crescer no Espírito. Se não o fizermos, iremos perder o crescimento que tivemos anteriormente e iremos morrer, pois um organismo vivo não pode permanecer o mesmo (Mt 13,12). Nós crescemos ou morremos.

Apesar das consequências devastadoras ameaçando aqueles(as) que não crescem, essas não são as principais razões pelas quais queremos crescer. Nós crescemos para agradar nosso Pai, que nos criou para crescer. Ele até mesmo enviou Jesus para morrer a fim de que possamos crescer. Ele enviou o Espírito Santo para viver em nós de modo a crescermos em santidade (1Cor 6,19). Nosso Pai, Abba, fica satisfeito quando Seus(Suas) filhos(as) crescem. Vamos crescer n’Ele e por Ele.

Oração: Pai, sorri com meu crescimento.
Promessa: “…E muito se admiravam dele.” (Mc 12,17)
Louvor: Depois de uma ausência de trinta e seis anos, Miriam confessou os seus pecados no Sacramento da Reconciliação. Agora ela se alegra por estar vivenciando sua fé Católica.

05/06/2024 - A CORRIDA DOS 120

Quarta-feira, 05 de Junho de 2024 – São Bonifácio

2Tm 1,1-3.6-12

Sl 123(122),1.2

Mc 12,18-27

A CORRIDA DOS 120

“Por este motivo, eu te exorto a reavivar o dom de Deus que há em ti pela imposição das minhas mãos. Pois Deus não nos deu um espírito de medo, mas um espírito de força, de amor e de sobriedade.” (2Tm 1,6.7)

No primeiro Pentecostes Cristão, 120 discípulos de Jesus receberam o Espírito Santo às 09:00h (At 1,15; 2,15). Eles alcançaram 3.000 pessoas com o Evangelho naquele dia (At 2,41). Os 120 não eram somente recebedores de Pentecostes, mas também participantes imediatos em Pentecostes. Jesus disse que é melhor dar do que receber (At 20,35).

Em Pentecostes, compreendemos que é melhor receber o Espírito de modo a poder dar o Espírito tão logo possível. Como exemplo, Maria recebeu o Espírito Santo e concebeu Jesus (Lc 1,35). “Naqueles dias, Maria pôs-se a caminho para a região montanhosa…” para partilhar o Espírito e o Bebê que estava carregando em seu ventre, com sua prima Isabel (Lc 1,39-45).

São Bonifácio, cuja festa celebramos na Missa de hoje, foi martirizado, pois partilhava o Espírito Santo preparando o povo para ser confirmado. Como São Bonifácio, nós temos que partilhar o Espírito Santo agora porque hoje pode ser a nossa última oportunidade. Precisamos de Cristãos que acendam a chama dos dons do Espírito Santo e se juntar aos 120 originais que começaram e continuaram Pentecostes sem demora. Juntem-se agora à missão dos 120.

Oração: Pai, que eu possa me mover no Espírito.
Promessa: “Pois quando ressuscitarem dos mortos, nem eles se casam, nem elas se dão em casamento, mas são como os anjos nos céus.” (Mc 12,25)
Louvor: São Bonifácio, dedicou a sua vida à conversão do povo Alemão do paganismo para o Cristianismo.

06/06/2024 - UMA PALAVRA DESNECESSÁRIA

Quinta-feira, 06 de Junho de 2024 – São Norberto

2Tm 2,8-15

Sl 25(24),4.5.8-10.14

Mc 12,28-34

UMA PALAVRA DESNECESSÁRIA

“Recorda todas estas coisas, atestando diante de Deus que é preciso evitar as discussões de palavras: elas não servem para nada, a não ser para a perdição dos que as ouvem.” (2Tm 2,14)

Muitos(as) de nós lutamos muito sobre palavras. Nos debatemos sobre traduções da Bíblia, inclusive sobre linguagem, sobre as palavras das orações, sobre propaganda dos assim chamados apoiadores pró-escolha e sobre outras tentativas de manipulação verbal na mídia. Algumas dessas brigas acerca das palavras são boas porque estamos lutando pela verdade (Eclo 4,28) e não somente pelas palavras. Mas algumas dessas lutas são por palavras vãs e ímpias (2Tm 2,16). Temos que evitar esse combate a qualquer custo, pois “…os que o praticam progredirão na impiedade; a palavra deles é como um gangrena que corrói…” (2Tm 2,16.17)

As palavras são muito mais poderosas do que muitas pessoas acham. A chamada ‘conversa vazia’ não é simplesmente ‘vazia’; ela é perigosa e potencialmente destrutiva. Jesus declarou: “Eu vos digo que de toda palavra inútil, que os homens disserem, darão contas no Dia do Julgamento. Pois por tuas palavras serás justificado e por tuas palavras serás condenado.” (Mt 12,36.37) Em razão das palavras serem tão poderosas, “…aquele que não peca no falar é realmente um homem perfeito, capaz de refrear todo o seu corpo.” (Tg 3,2)

“Nas muitas palavras não falta ofensa, quem retém os lábios é prudente.” (Pr 10,19) Assim, “é bom esperar em silêncio a salvação de Iahweh.” (Lm 3,26), seja “…tardio para falar…” (Tg 1,19), e, quando chamado por Deus, fale a verdade em amor (Ef 4,15).

Oração: Pai, que sejas o Senhor das minhas palavras. Ensina-me “…o que dizer e o que falar.” (Jo 12,49)
Promessa: “Jesus, vendo que ele respondera com inteligência, disse-lhe: ‘Tu não estás longe do Reino de Deus’…” (Mc 12,34)
Louvor: Depois que São Norberto entregou a sua vida a Jesus, ele vendeu todas as suas propriedades e seus bens, deu o dinheiro para os pobres e viajou descalço para fazer sua Confissão ao próprio papa.

07/06/2024 - O OLHAR DO AMOR

Sexta-feira, 07 de Junho de 2024 – Sagrado Coração de Jesus

Os 11,1.3.4.8.9

Is 12,2-6

Ef 3,8-12.14-19

Jo 19,31-37

O OLHAR DO AMOR

“…Olharão para aquele que traspassaram.” (Jo 19,37)

“…Deus é amor…” (1Jo 4,16) Esta é mais fundamental revelação de Deus. “Quanto a nós, amemos, porque ele nos amou primeiro.” (1Jo 4,19) Antes de tudo, nós temos que saber que Deus nos ama.

Todavia, nós temos grande dificuldade em crer no amor de Deus por nós. Apesar d’Ele nos atrair “…com laços de amor…” e continuar a cuidar de nós e a nos alimentar (Os 11,4), nós podemos não acreditar que Ele nos ama. Até mesmo quando Deus se fez um homem e provou o Seu amor morrendo na cruz por nós (Rm 5,8), nós negamos, ignoramos e questionamos o Seu amor.

O Senhor enviou apóstolos, profetas, pregadores e mestres para proclamar o Seu amor (Ef 4,11). Essas proclamações têm sido como uma espada de dois gumes, que penetra, divide, e julga os pensamentos e as reflexões dos nossos corações (Hb 4,12). Desse modo, muitas pessoas vieram a acreditar no amor de Deus por elas e começaram a viver uma nova vida de amor.

Possivelmente a mais efetiva proclamação do amor de Deus por cada um(a) de nós é a visão profética do Sagrado Coração de Jesus. Olhem para a imagem do Sagrado Coração. “Assim tereis condições para compreender com todos os santos qual é a largura e o comprimento e a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo o conhecimento, para que sejais plenificados com toda a plenitude de Deus.” (Ef 3,18.19) Olhem diariamente para a imagem do Sagrado Coração de Jesus. Acreditem que Ele ama a todos(as) vocês.

Oração: Pai, neste dia mundial de orações pela santificação dos sacerdotes, que os sacerdotes conheçam, transmitam e preguem o Vosso amor como nunca antes.
Promessa: “Como eu poderia abandonar-te … Meu coração se contorce dentro de mim, minhas entranhas comovem-se.” (Os 11,8)
Louvor: Contemplem o Coração que tanto amou a humanidade. Ele é puro Amor e Misericórdia. Todo louvor seja dado ao Sagrado Coração de Jesus.

08/06/2024 - A ALEGRIA DE DAR TUDO

Sábado, 08 de Junho de 2024 – Imaculado Coração de Maria

Is 61,9-11

1Sm 2,1.4-8

Lc 2,41-51

A ALEGRIA DE DAR TUDO

“…Sua mãe, porém, conservava a lembrança de todos esses fatos em seu coração.” (Lc 2,51)

Jesus, que deu tudo por nós morrendo na cruz, nos chama a respondermos dando tudo por Ele (Mt 13,44-46). Nós damos tudo o que realmente necessitamos e desse modo seguimos sem exigências. Alguma vez você deu para o Senhor a ponto de não poder comprar alimento suficiente para obter as calorias necessárias para agir normalmente? Quantos pais desistiram de necessidades básicas, tais como dormir, ao entregar as suas vidas pelos seus filhos? Quantas pessoas enfrentando dificuldades matrimoniais continuam a amar as(os) suas(seus) esposas(os) incondicionalmente ainda que suas necessidades por respeito, afirmação e amor não estejam sendo atendidas?

A vida em Cristo é uma vida de doação crucificada, cheia de sacrifícios. A Mãe Maria, Virgem Imaculada, deu tudo o que tinha pelo seu Filho Jesus. Como disse Santa Teresa de Calcutá, nós como seguidores(as) de Cristo temos que dar até que doa. Em uma sociedade centrada em si mesma, isso não parece ser uma boa notícia. Mas, paradoxalmente, somente dando tudo o que temos, vale a pena viver. Jesus nos adverte e promete: “Pois aquele que quiser salvar a sua vida vai perdê-la, mas o que perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará.” (Lc 9,24)

Oração: Pai, que eu possa compreender e viver Vosso ensinamento que “…Há mais felicidade em dar que em receber.” (At 20,35)
Promessa: “Quanto a mim, já fui oferecido em libação e chegou o tempo da minha partida. Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.” (2Tm 4,6.7)
Louvor: “Maria, contudo, conservava cuidadosamente todos esses acontecimentos e os meditava em seu coração.” (Lc 2,19)

09/06/2024 - UMA GUERRA QUE VALE A PENA SER VISTA

Domingo, 09 de Junho de 2024 – 10º Domingo do Tempo Comum – São José de Anchieta – Santo Efrém

Gn 3,9-15

Sl 130(129),1-8

2Cor 4,13-5,1

Mc 3,20-35

UMA GUERRA QUE VALE A PENA SER VISTA

“Porei hostilidade entre ti e a mulher, entre a tua linhagem e a linhagem dela. Ela te esmagará a cabeça e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gn 3,15)

Uma guerra é travada entre o reino de Deus e o reino das trevas. Em razão de ser uma guerra espiritual, ela não pode ser vista com nossos olhos físicos (1Cor 2,12-15). É crítico sabermos que nós estamos nessa guerra e agimos de acordo com ela. Imaginem-se caminhando através de uma zona de guerra alheios às balas e bombas zumbindo ao seu redor. Isso nos coloca em risco de nos tornarmos uma fatalidade uma vez que não estamos defendendo a nós mesmos e aos nossos entes queridos.

A guerra espiritual causa muitas fatalidades: fome generalizada, divórcios, milhões de bebês abortados, pecado sexual desenfreado, ganância, injustiça, egoísmo, abuso de drogas, atos de violência e muitas mais. O homem natural vê as casualidades sem pensar em Deus – a menos que culpe a Deus. O homem espiritual vê a guerra espiritual e responde as com armas espirituais como as apresentadas em Ef 6,10-20. “Pois o nosso combate não é contra o sangue nem contra a carne, mas contra os Principados, contra as Autoridades, contra os Dominadores deste mundo de trevas, contra os Espíritos do Mal, que povoam as regiões celestiais.” (Ef 6,12)

A terra de Israel já esteve sob ataque. O servo do profeta Eliseu se lamentou porque as forças do exército invasor Arameu haviam cercado a cidade, que não tinha tropas suficientes para enfrentá-lo (2Rs 6,14.15). “‘Não tenhas medo’, respondeu, ‘pois são mais numerosos os que estão conosco que os que estão com eles’. Iahweh abriu os olhos do servo e ele viu a montanha coberta de cavalos e carros de fogo em torno de Eliseu!” (2Rs 6,16.17)

Peçam ao Senhor pela graça de ver a guerra, lutar de modo apropriado e confiar que a batalha pertence a Ele (1Sm 17,47).

Oração: Pai, que eu possa “…[caminhar] pela fé e não pela visão.” (2Cor 5,7) Dá-me olhos para “[combater] o bom combate…” da fé (2Tm 4.7).
Promessa: “E tudo isto se realiza em vosso favor…” (2Cor 4,15)
Louvor: Louvor a Vós, Jesus ressuscitado, Comandante e Conquistador!

10/06/2024 - A ATITUDE PARA AS BEM-AVENTURANÇAS

Segunda-feira, 10 de Junho de 2024

1Rs 17,1-6

Sl 121(120),1-8

Mt 5,1-12

A ATITUDE PARA AS BEM-AVENTURANÇAS

“Bem-aventurados…” (Mt 5,3)

O Senhor quer nos abençoar mais do que nós podemos imaginar porque Ele nos ama de tal modo a ponto de morrer na cruz por nós. Ele quer nos abençoar nos mostrando bondade. No entanto, se somos orgulhosos(as), nós menosprezaremos esta bondade. Desse modo, o Senhor abençoa o(a) orgulhoso(a) dando a eles(elas)severidade ao invés de bondade (1Pd 5,5). Para sermos abençoados(as) com bondade, temos que nos humilhar a nós mesmos(as) (Mt 23,12).

Para sermos abençoados(as) agora com a glória do reino de Deus, temos que nos humilhar escolhendo a pobreza e/ou a perseguição (Mt 5,3.10). Para sermos abençoados(as) com consolação, devemos nos humilhar a nós mesmos(as) nos entristecendo por causa dos nossos pecados (Mt 5,4; ver 2Cor 7,10). Para sermos abençoados(as) com consolo, temos que escolher a humildade da modéstia (Mt 5,5). Para sermos abençoados(as) com satisfação, temos que nos humilhar buscando a santidade ao invés da satisfação dos nossos desejos egoístas (Mt 5,6). Para sermos abençoados(as) recebendo a misericórdia de Deus, temos que nos humilhar usando de misericórdia para com aqueles(as) que nos feriram (Mt 5,7). Para sermos abençoados(as) com a visão de Deus, temos que nos humilhar arrancando de nossos corações qualquer coisa que não seja de Deus (Mt 5,8). Para receber as bênçãos reservadas para os(as) filhos(as) de Deus, temos que nos humilhar construindo a paz ao invés da guerra contra nossos inimigos (Mt 5,9). As bênçãos das Bem-aventuranças são baseadas em uma atitude – a humildade.

Oração: Pai, que eu alegremente me humilhe a mim mesmo(a) por amor a Ti.
Promessa: “Os corvos lhe traziam pão de manhã e carne à tarde e ele bebia da torrente.” (2Rs 17,6)
Louvor: O Dr. Vinicius pediu a Deus para curar o seu paciente de uma enxaqueca. A dor o deixou.