04/11/2019 - Termos de Compensação

Segunda-feira, 04 de novembro de 2019

São Carlos Borromeu          

Rm 11,29-36

Sl 69(68),30.31.33.34.36.37

Lc 14,12-14

 TERMOS DE COMPENSAÇÃO

Feliz serás, então, porque eles não têm com que te retribuir. Serás, porém, recompensado na ressurreição dos justos.” (Lc 14,14)

Jesus não é contrário a sermos recompensados(as) pelo bem que fizermos. A Sua preocupação é quando nós seremos recompensados(as) e por quem. Deus Pai pretende nos recompensar pessoalmente na nossa ressurreição (Lc 14,14). Ao lermos isso, nós podemos ter a sensação que Deus pagou pelas nossas ações usando um planejamento à posteriori. Será que o nosso pagamento vencerá? Em Seu amor, Deus nos compensará de alguma maneira durante nossa vida na terra. Ele começa o seu planejamento de compensação eterna um pouco antes “… [colocando] em nossos corações o penhor do Espírito.” (2Cor 1,22)

Uma vez que recebemos o Espírito Santo, nós O servimos com tal devoção e poder que o mundo se opõe a nós. Depois começa a segunda compensação na terra. Santa Teresa de Ávila certa vez destacou : ‘Em tempos de tristeza e inquietação, não abandones nem as boas obras de oração nem a penitência a que estás habituado. Antes, intensifica-as. E verás com que prontidão o Senhor te sustentará’. Para ver detalhadamente os termos para essa segunda compensação, leia Eclo 2,1, 2Tm 3,12, e Tg 1,2-4.

Como sempre, o Senhor quer purificar nossa motivação para servi-Lo. Se nós O servimos para sermos recompensados(as) com os valores deste mundo, nós não devemos esperar “… [receber] recompensa junto ao [nosso] Pai que está nos céus.” (Mt 6,1)

Quem, com efeito, conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem se tornou seu conselheiro? Ou quem primeiro lhe fez o dom para receber em troca?” (Rm 11,34.35). Deus não nos deve nada. “Não percais, pois, a vossa segurança [em Deus] que tamanha recompensa merece.” (Hb 10,35). “Acautelai-vos, para não perderdes o fruto de nossos trabalhos, mas, ao contrário, receberdes uma plena recompensa.” (2Jo 8)

Oração: Pai, que eu Te sirva, não esperando uma recompensa mas simplesmente porque eu Te amo com todo o meu coração.

Promessa:Porque Iahweh ouve os indigentes, nunca rejeita seus cativos.” (Sl 69,34)

Louvor: São Carlos colaborou na reforma de toda a Igreja durante os últimos anos do Concílio de Trento.