Quem é São José

Pela grande e importante missão que DEUS confiou a São José, podemos aferir sua extraordinária virtude e santidade. Conforme ensina São Tomás de Aquino, DEUS confere as graças e privilégios ‘a medida da dignidade e da elevação do estado a que se destina o indivíduo. Pode-se imaginar dignidade maior que a de São José que, pelos desígnios de DEUS, devia ser esposo de Maria Santíssima e pai nutrício de seu divino Filho?

O Evangelho o define em três palavras: ” José era justo.”  Ora, os santos doutores da Igreja afirmam que este qualificativo designa que São José possuía todas as virtudes num grau elevado de perfeição.

A Igreja chama-o também de “Santíssimo”, qualificativo que não dá a nenhum outro Santo. Assim podemos deduzir que consumada perfeição ele atingiu!

Oh! Que santo maravilhoso é o preclaro São José, diz São Francisco de Sales.

Dir-se-ia que ele foi tão perfeito ou que possui as virtudes no mesmo grau excelso em que as possuía a Santíssima Virgem Maria.

Ele era da família de Davi. Entre seus antepassados havia Patriarcas, reis e príncipes. ‘A sua família fora prometido o trono com eterna bênção. Sua glória e grandeza decorrem de pertencer ‘a família que devia dar ao mundo o Salvador. Da haste de Jessé, e da estirpe de Davi, devia nascer o Messias prometido.

Que honra e que dignidade!

Nele verificou-se o sonho de José do Egito. O sol de justiça, a lua mística o veneram, as estrelas da pátria celeste se curvam diante dele. A Igreja lhe atribui um culto especial. Seu nome enche de alegria o Céu e faz tremer o inferno. Honram-no os Anjos e cumprem suas ordens.

Sobre a Devoção a São José

São José é um grande intercessor que temos diante de Jesus. Nunca tarda em nos ajudar a conseguir alguma graça que desejemos, desde que a peçamos com fé.

Tudo o que sabemos de São José é o que nos conta a Sagrada Escritura: que era um homem justo, temente a Deus e aceitou dar sua vida para criar e educar um filho que não era seu (afinal Jesus era filho de Deus). A Escritura Sagrada diz que era carpinteiro (Mt13,55) e pobre, tanto que quando foi levar Jesus ao Templo para ser circuncidado e Maria purificada, ofereceu como sacrifício de um par de rolas, permitido apenas àqueles que não tinham condições de comprar um cordeiro (Lc2,24). Embora sendo pobre, José era de linhagem real, da descendência do rei Davi (Mt1,1-16 e Lc3,23-28).

Era um homem bom compassivo e carinhoso, características de um justo. Quando soube da gravidez de Maria, não sendo seu o filho que ela esperava, planejou deixá-la silenciosamente para não a expor à vergonha e crueldade, porque naquela época, as mulheres acusadas de adultério eram apedrejadas até à morte (Mt19,20).

José foi também um homem de fé e obediente. Quando o anjo do Senhor em sonho lhe revelou o mistério sobre a criança que Maria trazia no ventre, imediatamente e sem questionar ou preocupar-se com fofocas, a tomou como esposa. Quando o anjo lhe apareceu novamente para avisá-lo do perigo que a sua família corria, imediatamente deixou tudo o que possuía, bem como os parentes e amigos e partiu para um país estranho e lá permaneceu, aguardando pacientemente até que o anjo do Senhor, no devido tempo, o instruiu para retornar (Mt2,13-23).

Quando Jesus ficou no templo, perdido dele e da mãe, José, junto com Maria, procurou-o com grande ansiedade até encontra-lo ao fim de três dias (Lc2,48). Tratava Jesus como seu próprio filho, a tal ponto que os habitantes de Nazaré repetiam constantemente em relação a Jesus “Não é ele o filho de José?” (Lc4,22).

José teve uma morte linda, como muitos gostariam de ter, ao lado de Jesus e de Maria.

São José é invocado em casos de doença, junto a agonizantes, em casos de dificuldades financeiras e pelas famílias. Na ladainha em sua honra é invocado como terror dos demônios.

Mas não são só nesses os casos em que é invocado. A sua intercessão é para qualquer situação como diz Santa Tereza D’ Ávila (Vida, cap.6n.6-8): “Tomei por advogado e senhor ao glorioso São José e encomendei-me muito a ele… Causa espanto as grandes mercês que Deus me fez por meio desse bem aventurado Santo, dos perigos que me livrou tanto do corpo como da alma. A outros santos parece que o Senhor lhes deu graças para socorrer em determinada necessidade. Mas deste glorioso santo tenho experiência que socorre em todas… Só peço, por amor de Deus, que o prove quem em mim não acreditar e verá por experiência o grande bem que é encomendar-se a este glorioso patriarca e lhe ter devoção“.

Devoções Inseparavéis

A devoção a São José é inseparável da devoção de Maria: “O que Deus uniu, não se separe o homem” (Mt 19, 6).

É impossível nutrir devoção profunda e autêntica a Maria, sem sentir também veneração especialíssima a seu virginal esposo, São José.

Sem esta devoção priva-se o fiel de uma das mais preciosas graças que na atualidade oferece Deus ‘as almas, firma o Pe. Carlos Sauvé, S.S., e prossegue: “Sim, junto com a devoção ao Sagrado Coração, junto com a devoção a Nossa Senhora, a devoção a São José é graça importantíssima, graça por excelência”.

Por seu turno, uma das mais fervorosas propagandistas da devoção a São José, a grande Santa Tereza, se expressa neste teor: “Tomei por advogado e Senhor ao glorioso São José e encomendei-me muito a ele…Não me lembro, até o presente, ter-lhe pedido coisa que tenha deixado de fazer. Causa espanto as grandes mercês que Deus me fez por meio desse bem-aventurado Santo, dos perigos que me livrou, assim do corpo como da alma. A outros Santos o Senhor lhes deu a graça de socorrer em determinada necessidade, deste glorioso Santo  tenho experiência socorre em todas…Só peço, por amor de Deus, que o prove quem não me acreditar e verá por experiência o grande bem que é encomendar-se a este glorioso Patriarca e ter-lhe devoção”.

Devoção Excelente

Ao lado da devoção a JESUS e a Maria devemos ter a de São José, pois eles estiveram sempre juntos.

Esta é uma devoção sólida, pois a Santa Igreja sempre a recomendou aos seus filhos; os Papas a recomendam incansavelmente aos fiéis; os Santos Doutores da Igreja propagam e aconselham a sua prática.

Os que têm a ventura de abraçá-la, logo sentem seus maravilhosos efeitos. Caminham de virtude em virtude, de graça em graça, até atingir um elevado grau de perfeição.

Mil e mil vozes, em todo o mundo, proclamam os benefícios incontáveis desta devoção.

Não sabeis que sou todo de São José?”  dizia São Francisco de Salles, na hora da morte.

São José, sendo pai de bondade e misericórdia, não se deixa vencer em amor e liberalidade. Vendo que alguém se lhe entrega plenamente, para honrá-lo e servi-lo, protege-o duma maneira inefável.

Cumula seus devotos de suas graças, reveste-os de seus merecimentos, esclarece-os com suas luzes, prodigaliza-lhes o apoio de seu patrocínio.

Esta devoção, tal com a de Maria Santíssima, é um caminho fácil para chegarmos até DEUS, pois o percorremos com segurança, tranqüilidade e doçura.

É um caminho curto e perfeito, pois quem é guiado por São José não se desvia, avança sem cair, sem recuar, a passos gigantes em direção a DEUS.

É o caminho seguro trilhado por JESUS e pelos Santos, e quem o seguir não vai ficar decepcionado.

Como pai de bondade ele ama seus filhos com ternura incomparável, os conduz com firmeza, protege-os em todas as adversidades, e intercede por eles em qualquer dificuldade, obtendo-lhes as bênçãos do PAI Celestial.

Vivemos hoje dias conturbados. Mas é em épocas assim que mais podemos perceber a manifestação do grande amor de Deus por nós. É em tempos difíceis como estes, que podemos olhar para a doce figura de José, um modelo singular de esposo e pai. Sempre pronto a agir, e de imediato, em favor daqueles que estavam recomendados ‘a sua guarda. Assim foi quando o anjo do Senhor lhe ordenou: “Levanta-te, toma o menino e sua Mãe e foge para o Egito, e demora-te lá, até que eu te diga. E levantou-se ele, tomou o Menino e sua Mãe, de noite, e foi para o Egito (Mt 2, 13-14). Como nos mostra a Sagrada  Escritura, ele sequer esperou o dia amanhecer. E, o livramento para o Menino Deus e Sua Mãe, veio da parte do Altíssimo, pelas mãos de José. Assim é ainda hoje, Deus não mudou o seu modo de agir.

Normalmente nos tocamos pelos testemunhos, e pelas proezas que Deus opera em nosso favor, e muitos são, os testemunhos acerca das intervenções de São José na vida daqueles que lhe são devotos.

“Certa vez dois frades Franciscanos muito devotos do glorioso santo, sofreram um naufrágio, quando o navio em que atravessavam o oceano foi a pique. Agarrados a uma tábua, eles, com grande dificuldade conseguiram manter as suas cabeças fora d’água durante três dias, enquanto eram sacudidos pelo mar revolto e as ondas lhes chapavam o rosto com violência.

Ambos muito devotos de São José, logo começaram a rezar fervorosamente, pedindo-lhe que os livrasse daquela situação de extrema aflição. Após algum tempo, a fé dos dois frades foi renovada e sentiram uma grande paz. Em seguida, a tempestade se acalmou, o céu ficou claro e o mar serenou.

De repente, uma figura radiante lhes apareceu, saudou-os, amavelmente, e levou-os até uma praia. Ao alcançarem terra firme, os dois religiosos agradecidos atiraram-se aos pés daquele que os havia livrado de tão grande dificuldade. Foi então que o visitante celestial lhes disse. “Eu sou José; E se vocês querem realmente fazer algo que me agrade, não passem um só dia de suas vidas, sem rezar Sete Pai-Nossos e Sete Ave-Marias em honra das sete alegrias que me consolaram durante o tempo em que eu vivi na terra em companhia de Jesus e de Maria”. Após estas palavras desapareceu da vista deles.

Em cada dificuldade ou atropelo da vida, sabemos que podemos recorrer a São José, mas não podemos incorrer no erro, de olhar para a figura dele, apenas como alguém que está pronto a nos ajudar em situações de aflição ou de grandes dificuldades, o que realmente acontece, pois em sua bondade, Deus veio ao nosso encontro através daquele que teve o privilégio e o encargo de ser Pai Virginal do Criador e esposo da Mãe de Deus.

O que dizem os Santos de São José

1 – Santo Agostinho compara os outros santos a estrelas, mas São José, ao sol.

2 “Quem não achar mestre que lhe ensine a orar,tome São José por mestre, e não errará o caminho”.  Santa Teresa

3 – “Quisera subir à  mais alta montanha para gritar a todos:

Ide a São José! Jamais  recorri a ele em vão.”   Santa Teresa

4 – “Não, certamente não, míseros pecadores, exclama Santa Teresa, a vossa maior devota, a propagadora de vossas glórias, em qualquer necessidade, por mais grave que seja, recorrei à eficaz intercessão do patriarca São José; procurai-o com fé verdadeira, e vossas súplicas certamente serão atendidas.”

5 – “Grande e muito grande é o valimento de São José, como o prova a experiência e o ensinam os doutores da Igreja”. Santo Antonio Claret

6 – O Senhor recomendou à Santa Margarida que tivesse especial devoção a São José, e lhe prestasse sempre filial homenagem.

7 – “É tão importante a devoção a São José, que deve enraizar-se nos costumes e instituições católicas”.    (Leão XIII)

8 – São Francisco de Sales, na hora da morte, cheio de paz, exclamou:  “Não sabeis que sou todo de São José? ”

9 – “Como é doce, calmo, sereno, suave o pensamento de São José, meu primeiro e predileto protetor”. João XXIII

10 – “ Ó Jesus, dai a ardente caridade de São José e nada mais restará a desejar sobre a terra”. São João Vianney, Cura d’Ars

11 – “Vi no céu os santos inclinarem a cabeça quando pronunciavam o nome se São José.” Santa Gertrudes

12 – São Pio X dava grande importância à devoção a São José e não deixava de inculcá-la aos fiéis.

13 – “Não podemos duvidar que Jesus conserva no céu para com São José a ternura e respeito que lhe testemunhou outrora na terra, isto é, ternura e respeito filial.” São Bernardino de Sena

14 – “São Jose foi o homem mais puro em sua virgindade, mais profundo em sua humildade, mais ardente na caridade, mais elevado na contemplação.”  (São Bernardino de Sena)

15 – “Se amais São José, imitai-lhe as virtudes”. Santo Ambrósio

16 – “O nome de São José é alegria do céu, esperança da terra e terror do inferno”. (Berlioux)

17 – “Eis o servo fiel e prudente a quem o Senhor confiou a sua casa ” (Lucas 12, 41)

18 – “Ser pai nutrício de Jesus é missão que o eleva acima de todos os demais santos”.   Bispo de Salford (Inglaterra).